Palácio Christiansborg

O Palácio Christiansborg em Copenhague

Palácio Christiansborg, localizado bem no centro de Copenhague, na ilha Slotsholmen, ele já foi residência real e é a sede do parlamento dinamarquês. Reserve umas 4 horas para conhecer todo o complexo que vale cada centavo de coroa.

Não hesito nem por um segundo em afirmar que este é o palácio mais bonito que já visitei. Não conheço tantos assim, mas já estive em Versailhes na França e no Schonbrunn na Áustria. O palácio é extremamente bem conservado e até moderno. Os salões reais não parecem coisa do século passado com aquele característico de coisa velha. Eles são coloridos vivos e representam toda a grandeza do Reino da Dinamarca.

Palácio Christiansborg

Palácio Christiansborg – foto by Andrew Grundy

Antes de entrarmos na visita propriamente dita, quero falar um pouco sobre a história deste palácio.

Um pouco de história: Esta é a terceira versão do Palácio Christiansborg, as duas primeiras sucumbiram ao fogo. Sua história porém, é tão antiga quanto a fundação do reino dinamarquês. Foi neste local que o arcebispo Absalon em 1167 construiu o primeiro de 5 castelos que já ocuparam esse mesmo local. Vamos colocar numa linha do tempo:

CP_06

Vale dizer que o Castelo Copenhague sofreu diversas transformações ao longo dos séculos. Quando sua estrutura estava prestes a ruir, pois não suportava mais o peso, o Rei Christian VI resolveu derrubá-lo para construir o primeiro Palácio Christiansborg. Quando o primeiro palácio pegou fogo, a família real foi morar no Palácio Amalianborg, perto dali. Depois que o segundo Palácio Christianborg ficou pronto o rei Frederik VI resolveu continuar em Amalienborg. Amalienborg é até hoje a residência real.

Durante o processo de escavação para a construção do terceiro palácio foram encontradas ruínas do Castelo Absalon e do Castelo Copenhague. Essas ruínas foram preservadas e fazem parte da visita ao complexo.

Clique aqui e reserve seu hotel em Copenhague pelo booking.com

Castelo Copenhague

Castelo Copenhague em 1731

Depois desta pincelada na história vamos falar da visita ao castelo. A visita acontece em 4 locais do palácio; os salões reais, o estábulo, a cozinha de cobre e as ruínas. O ingresso combinado custa DKK150,00. Fique atento que o estábulo tem horário de visitação restrito, informe-se na bilheteria.

Salões Reais

Os salões reais nunca serviram como moradia real, no entanto são utilizados para grandes festas e recepção de líderes de estado quando em visita à Dinamarca. O primeiro ministro mora nesta parte do palácio, mas sua residência não é aberta ao público.

Para perambular pelo palácio o visitante precisa colocar a sapatilha plástica por cima de seu calçado, depois disso é só seguir o roteiro. São 19 pontos para ver. Na minha opinião os mais impressionantes são o Alexander Hall, a biblioteca, o salão de jantar, o hall grande e o salão do trono.

O Salão Alexander tem esse nome por causa das frisas em mármore que mostram a entrada de Alexandre o Grande na Babilônia após a conquista do Império Persa. Essas frisas foram feitas pelo mais renomado escultor dinamarquês, Bertel Thorvaldsen. Parte dela foi recuperada do incêndio que destruiu o segundo palácio.

Palácio Christiansborg

Palácio Christiansborg – Salão Alexandre

A Biblioteca é um encanto a parte. São duas salas com 10.000 livros. A coleção total da biblioteca conta com 90.000 unidades sendo que a maior parte está no Palácio Amalienborg. São coleções pessoais de diversos monarcas bem como livros adquiridos especificamente para fazerem parte da coleção.

Palácio Christiansborg

Palácio Christiansborg – biblioteca

A sala de jantar tem uma mesa gigantesca e o interessante é que a madeira utilizada eram os degraus de uma escada que ficava no segundo palácio e foi salva do incêndio. Outro detalhe interessante é sobre os imensos lustres. Eles pertenciam a Noruega e foram comprados pela Dinamarca. Tempos depois a Noruega mandou fazer novos lustres iguais a esses, que acredito estarem no Palácio Real de Oslo. Hoje em dia esse salão é utilizada para a montagem dos pratos a serem servidos no Grande Salão.

Palácio Christiansborg

Palácio Christiansborg – sala de jantar

O Grande Salão é a principal sala da visita. Muitas coisas interessantes aqui. Vamos começar pelo piso de mármore que originalmente ficava no antigo prédio da Biblioteca Real Dinamarquesa. Quando esta foi transferida para um novo edifício no início do século XX, o piso foi instalado no Grande Salão. Não deixe de olhar para cima e apreciar os belos lustres de Murano. O foco principal do salão, no entanto está nas suas imensas tapeçarias. Essas 11 tapeçarias foram dadas por ricos homens de negócios à Rainha Margarida na ocasião de seu 50º aniversário. O artista é  Bjørn Nørgaard e as tapeçarias, que contam a história da Dinamarca, só foram instaladas no salão 10 anos após serem encomendadas.

Palácio Christiansborg

Palácio Christiansborg – O grande Salão

O salão do trono é tradicionalmente o mais importante em qualquer palácio. A rainha Margarida não senta no trono para receber seus convidados, ao invés, ela os recebe em pé.  A sacada é onde os novos reis são proclamados. A última vez que isso aconteceu foi em 1972.

Palácio Christiansborg

Palácio Christiansborg – Sala do Trono

A Cozinha Real

Eu adoro essa cozinha! Apesar de hoje em dia ela não ser mais usada para o preparo dos jantares, ela ainda serve como apoio. Panelas de cobre penduradas, alimentos no forno e no fogão, bolos e doces sendo preparados, claro que tudo isso é falso, mas é tão bem retratado que tem até cheiro.

A cozinha está mobiliada e equipada como era nos dias do Rei Christian X, avó da atual rainha. Todo o jantar sendo preparado na cozinha é para o 25º jubileu do rei que aconteceu em 15 de maio de 1937.

Palácio Christiansborg

Palácio Christiansborg , cozinha real

Palácio Christiansborg

Palácio Christiansborg , cozinha real

No salão das flores há um vídeo que conta como e onde são preparados os banquetes que acontecem no Grande Salão, muito interessante, não perca.

Na sala do Chef você pode se vestir como ele e sentar em sua mesa. Perfeito para uma foto de Chef da realeza!

Ah, e quando o telefone da aérea de serviço tocar, não deixe de atender!

Estábulo

Na visita ao estábulo você tem a chance de ver os belos cavalos reais. Todos são de origem tcheca e brancos. Uma curiosidade sobre eles; esses cavalos são pretos quando nascem e vão adquirindo a cor branca com o passar dos anos. No passado haviam em média 250 cavalos aqui, hoje são em torno de 14.

Palácio Christiansborg

Palácio Christiansborg – carruagens e o belo cavalo branco

 

Palácio Christiansborg

Palácio Christiansborg – estábulo

Além de apreciar os cavalos, você verá também as carruagens da realeza que são utilizadas em ocasiões especiais, como coroações e casamentos. Há também um pequeno museu.

Na parte de fora é o local que os cavalos são treinados, se você tiver sorte poderá ver isso também.

Ruínas

As ruínas de Christiansborg foram descobertas quando da escavação para a construção do atual palácio. São ruínas da época do Castelo Absalon e dos Castelo de Copenhague. É possível ver traços das muralhas que cercavam ambos os castelos.

A visita é bem educativa, cheia de explicações sobre a construção dos castelos bem como maiores detalhes sobre os incêndios que consumiram os dois primeiros Christiansborg.

Desça bem agasalhado pois é bem frio lá embaixo.

Palácio Christiansborg , eu nas ruínas

Palácio Christiansborg – ruínas

O que mais há por aqui

Por aqui também fica o antigo Teatro da Corte. É um teatro todo em madeira construído em 1767 e reconstruído em 1842. Ficou anos fechado por questões de segurança relacionadas ao uso de teatros deste tipo. Hoje abriga um pequeno museu e pequenas performances. A entrada não está incluída no preço da visita ao complexo.

É possível subir na torre do palácio. Não sei porque não fiz isso. Sei que a entrada é gratuita e que promete belas visitas dos arredores.

Ao lado do palácio fica a capela. Ela nem sempre está aberta.

E aí gostou do Palácio Christiansborg?

Clique aqui e veja tudo que já publicamos sobre Copenhague!